andre marques emagreceu tanquinho capa 2

 

Desde que André Marques emagreceu, o famoso vem chamando atenção pelo corpo mais enxuto. Mas agora, mais do que os 73 kg eliminados pela cirurgia bariátrica, o que se torna comentário é a barriga tanquinho que o famoso conquistou. Imagens publicadas por ele no Instagram mostram: nada de gordura, zero de flacidez.

A foto criou polêmica sobre a falta de sobra de pele no corpo do famoso. Em algumas oportunidades, ele já afirmou não ter feito cirurgia para tirar flacidez, porque não teve problemas com isso. Ao colunista Leo Dias, em maio de 2014, ele disse: “Muita gente me pergunta, mas ainda não fiquei flácido, não. Também, se ficar não tem problema, não, faço cirurgia de boa. O que minha médica me explicou é que, no meu caso, não tive uma infância obesa. Eu fui engordando com o passar dos anos, então, quando você vem de muitos anos com sobrepeso, a pele estica muito mais. A pele cansa”.

Mais recentemente, em maio de 2015, o personal trainer de Marques, Xande Negão, confirmou ao Ego que ele não precisou tirar sobra de pele. “Ele não ficou com muita pele sobrando, não sei se porque é novo”.

Dieta e exercícios

O apresentador da Rede Globo revelou alguns detalhes do novo treino e da nova alimentação que começou a seguir após a cirurgia de redução de estômago. Essas foram as chaves para conseguir ter um corpo durinho e atlético. Confira as cinco mudanças principais na rotina de André Marques que foram as responsáveis pela transformação.

  • André intensificou os treinos e passou a malhar quatro vezes por semana com a ajuda de um personal. Isso fez com que ele tivesse acompanhamento de perto e a frequência ideal para atingir os resultados desejados.
  • O famoso adotou um treino de circuito, que é mais eficiente do que um treino comum. As atividades duram uma hora e contam com uma mistura de aparelhos de musculação e aeróbicos.
  • As abdominais também passaram a ser mais frequentes e entraram no treino circuito do apresentador. Ele realiza uma série sempre que muda do aeróbico para a musculação – e isso acontece seis vezes durante o circuito.
  • Seis refeições ao dia. É assim que André se alimenta. Para conquistar o corpo mais definido, ele prioriza a proteína, que favorece o ganho de massa magra e o desenvolvimento de músculos.

 

cupom1

 

 

andre marques emagreceu tanquinho gal

Bom dia pessoal.

Algumas informações sobre cirurgia bariátrica pelo SUS.

Cirurgia de Redução de Estômago Grátis Pelo SUS: A cirurgia de redução de estômago realizada de modo gratuito pelo SUS há uma fila de espera, sendo que os interessados deverão aguardar nessa fila e realizar algumas baterias de exames para saber quais serão os procedimentos para realizar a cirurgia de forma adequada, além de ter que seguir alguns requisitos, continue lendo nossa matéria para obter maiores informações sobre como realizar a cirurgia de redução de estômago gratuita pelo SUS.

Alguns dados de pesquisas de orçamentos familiares realizados pelo IBGE, afirmam que para cada grupamento populacional de 95,5 milhões de pessoas com 20 anos ou mais, 38,8 milhões apresentam excesso de peso, das quais 10,5 milhões são obesos, possuindo uma taxa de 6% de obesidade grave, sendo que no ano de 2008, para a realização da cirurgia de redução de estômago grátis, cerca de 82% dos pacientes eram mulheres, muitas pessoas que já conseguiram diz que vale a pena aguardar pela cirurgia, pois a recuperação da auto estima e da sensação de voltar a viver em um mundo melhor compensa no final.

Requisitos para a Cirurgia

Confiram uma lista com alguns dos requisitos que os candidatos terão de seguir para que possam ter a oportunidade de realizar a cirurgia de redução de estômago, confiram a lista e comece a seguir as normas, caso pretenda conseguir uma cirurgia de redução de estômago pelo SUS, segue a lista.

Portador de obesidade mórbida com índice de massa corpórea igual ou maior que 40Kg/m2, sem comorbidades e que não responderam ao tratamento conservador.
Portadores de obesidade mórbida com índice de massa corpórea igual ou maior que 40Kg/m2, com comorbidades que ameaçam a vida
Pacientes com Índice de Massa Corpórea entre 35 e 39,9Kg/m2 portadores de doenças crônicas desencadeadas ou agravadas pela obesidade
Deve ser realizado um acompanhamento multidisciplinar de no mínimo dois anos sem prescrever a cirurgia.

Locais

Lembrando que a cirurgia de redução de estômago pelo SUS é realizada em diversas localidades do Brasil, dando a oportunidade dos pacientes que necessitam dessa cirurgia não precisar is muito longe para consegui-la, o ideal seria ter no Brasil todo, porém esse não é um problema fácil de se resolver, preparamos uma outra lista com algumas cidades e nomes de hospitais que são autorizados pelo SUS para realizar esse tipo de procedimento, segue a lista.
  • Maceió – AL
    Hospital Univ. Ufal – Hosp. Universitário Mec/Mpas
  • Salvador – BA
    Real Sociedade Espanhola Da Beneficência – Hospital Espanhol
  • Fortaleza – CE
    Hospital Univ. Walter Cantídio
    Hospital Geral Dr. César Cals Ce Fortaleza
  • Botucatu – SP
    Hospital Das Clínicas Unesp Sp Botucatu
  • Vila Velha – ES
    Assoc. Evangélica Beneficente Espírito Santense
  • Cach. Itapemirim- Es
    Hosp. Evangélico De Cachoeiro De Itapemirim
  • Vitória- ES
    Hospital Universitário Cassiano Antonio Moraes (Pendências)
  • Brasília -DF
    Fub – Hospital Universitário De Brasília/Df Df Brasília
  • São Luís – MA
    Fundação Josué Montello/Hospital Universitário Do Maranhão
  • Belo Horizonte – MG
    Hospital Das Clínicas Da UFMG
    Santa Casa De Misericórdia De Belo Horizonte
  • Cuiabá – MT
    Sociedade De Proteção À Maternidade E À Infância De Cuiabá Mt Cuiabá
    Fundação Universidade Federal De Mato Grosso H. Univers. Júlio
  • Campo Grande – MS
    Sociedade Beneficente De Campo Grande Santa Casa (Pend.)
    Fundação Serv. Saúde Ms – Hospital Regional De Mato Grosso Do Sul
    Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian
  • Dourados – MS
    Associação Beneficente Douradense/Hosp. Evang. Dr. E Sra. G. Kin
  • Belém – PA
    Instituto Ofir Loiola
  • Curitiba – PR
    Hospital Das Clínicas Da Ufpr
  • Maringá – PR
    Fuem Hospital Universitário
  • Londrina – PR
    Fund. Univ. Est. Londrina – Hospl Univ.Reg. Do Norte Do Paraná
  • Campina Grande Do Sul – PR
    Hospital E Maternidade Caron Ltda Pr Campina Grande Do Sul
  • Curitiba – PR
    Hospital De Caridade Irm. Santa Casa De Misericordia De Curitiba
  • Rio De Janeiro – RJ
    Hospital Geral De Ipanema
    UFRJ/Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (Cnes 2280167)
  • Florianópolis – SC
    Hospital Governador Celso Ramos (Pendências)
    Univ. Federal De Santa Catarina Hosp. Univers
  • São Paulo – SP
    Fundação Faculdade De Medicina Mec/Mpas
    Real E Benemérita Sociedade Port. De Beneficência
    Irm. Sta. Casa Mis. São Paulo Fac. Med. S. Casa Hosp. Univ. Mec Mpas
    Ses/Sp Conjunto Hospitalar Do Mandaqui
    Casa De Saúde Santa Marcelina
  • Blumenau – SC
    Fundação Hospitalar De Blumenau – Hospital Santo Antonio
  • Lages – SC
    Hospital Geral Tereza Ramos
  • Campinas – SP
    Univers. Estadual Campinas Unicamp Hosp. Univer. Mec Mpas
  • Marília – SP
    Fundação Municipal Ensino Marília Hosp. Univer. Mec Mpas
  • Recife – PE
    Hospital Das Clínicas Da Ufpe
    Hospital Oswaldo Cruz
  • Piracicaba – SP
    Assoc. Fornecedores De Cana De Piracicaba
  • Presidente Prudente – SP
    Santa Casa De Misericórdia De Presidente Prudente
  • São José Do Rio Preto – SP
    Fund. Fac. Regional De Medicina De São Jose Do Rio Preto Hosp. Univ.
  • São José Dos Campos – SP
    Obra De Ação Social Pio Xii
  • Universidade Federal De São Paulo – Hospital São Paulo
    Fundação Zerbini – Incor
  • Araçatuba – SP
    Santa Csa De Mis. De Araçatuba Hospital Sagrado Coração De Jesus
  • Sorocaba – SP
    Ses – Conjunto Hospitalar De Sorocaba
  • Porto Alegre – RS
    União Bras. Educ. Associação Hospital São Lucas Puc
    Hospital Nossa Senhora Da Conceição S/A
  • Araguaína – To
    Hospital De Araguaína
  • Palmas – To
    Hospital De Palmas
  • São José – SC
    Hospital Regional Homero De Miranda Gomes
  • Ribeirão Preto – SP
    Fund. Apoio Ao Ensino/Pesq. E Assist. Do Hcfmrpusp
1ª mulher a reduzir estômago sem cortes na barriga conta como está, 4 meses depois

millene-reducao-de-estomago-0517-1400x800-4

A farmacêutica Millene Kogan Copat, de 29 anos, há anos convivia com a obesidade grau 1. Com 1,67 cm e 96 kg, ela já havia tentado de tudo para emagrecer, mas nunca conseguiu chegar ao peso que desejava. A jovem até pensou em recorrer à cirurgia bariátrica, mas a operação só é indicada para pessoas com graus mais avançados de obesidade.

“Já fiz dietas malucas, tomei medicamentos para emagrecer a vida inteira, mas eu emagrecia um pouco e ganhava peso muito rápido. Eu perdia em um mês e já ganhava no mês seguinte”, relembra sobre suas tentativas de emagrecimento.

 

Gastroplastia endoscópica: o que é?

No ano passado, Millene ficou sabendo que a Faculdade de Medicina do ABC estava em busca de voluntários para um procedimento intitulado de gastroplastia endoscópica. Trata-se da cirurgia que está sendo chamada de nova bariátrica – apesar de e consiste em reduzir o estômago por meio de um equipamento de sutura endoscópica que é inserido pela boca do paciente.

Neste procedimento, o equipamento “grampeia” o estômago do paciente com o intuito de reduzi-lo de tamanho. As principais diferenças em relação à bariátrica são a ausência de cortes, maior rapidez do procedimento e o critério para liberação do paciente, já que ele não precisa ter IMC acima de 35, nem apresentar problemas de saúde, para aderir ao método (na bariátrica tradicional, o paciente precisa ter IMC acima de 40, ou então acima de 35 com outro problema de saúde associado, para fazer o procedimento).

Emagrecimento

Em menos de 4 meses após se candidatar e passar pela cirurgia, ela emagreceu 19,5 kg. A farmacêutica ainda pretende emagrecer mais 10kg e diz que não poderia estar mais feliz com o resultado.

“Foi mais tranquilo do que eu esperava. Só senti dores abdominais e um pouco de enjoo no primeiro dia. No terceiro dia, já queria sair de casa, me sentia ótima”, relembra.

Pós-operatório

Como o estômago é reduzido de tamanho, como na bariátrica, o pós-operatório é praticamente igual ao da redução de estômago convencional.

“Fiquei 5 dias só tomando água, água de coco e Gatorade. Depois foram mais 15 dias de sopa líquida e mais 10 dias só de comida pastosa. Depois disso, fui voltando a comer os sólidos aos poucos”, comenta Millene.

De acordo com a jovem, o pós-operatório exige disciplina e, para ela, a terapia e a perda de peso rápida foram fundamentais para que ela não perdesse o foco.

“A terapia ajuda porque é a cabeça que quer comer, às vezes dava vontade de sair da dieta, mas eu estava focada. Além disso, já perdi 3 quilos logo na primeira semana e isso anima”, relembra.

cupom1

 

Como está Millene hoje?

millene-reducao-de-estomago-0517-1400x800-3

Atualmente, Millene pode comer de tudo. A diferença é que come quantidades bem menores e evita doces. “Eu comia compulsivamente, a minha vida social era cercada por comida. Só o procedimento não faz milagre. Você tem que querer mudar a sua vida”, afirma.

Além de ter reduzido o estômago, a farmacêutica passou a comer frutas, legumes, levar marmita para o trabalho e ir à academia. “Hoje eu sei que juntar as coisas é o que dá resultado e isso anima”, comenta sobre ter aliado a redução de estômago com dieta e atividade física.

Para continuar vendo resultado, Millene segue tendo acompanhamento nutricional para saber as quantidades certas de cada alimento e o que deve ou não comer.

“Não sei quanto eu consigo comer porque não exagerei nenhuma vez. Sigo uma dieta que tem um pouco de tudo e sigo à risca”, comenta.

Com esta dieta, ela tem comido até chocolate. “A nutricionista liberou o 70% cacau três vezes por semana. Eu faria de novo. Não foi um sacrifício e eu estou muito feliz”, enfatiza.

 

 

 

Fonte: vix.com

question-mark-1019993_960_720Olá Pessoal!

Chegamos ao post da etapa final sobre reganho de peso. Acredito que dentre os 5 pontos comentados, este seja o de maior importância.

Com certeza vocês já ouviram a frase Você é o que você come. Pois então, a obesidade é fruto de uma vida desregrada, escolhas erradas, hábitos errados, basicamente fruto da desinformação.

A indústria alimentícia aposta nessa desinformação sobre a obesidade. Enquanto isso as pessoas continuam engordando e a taxa de sobrepeso crescendo constantemente, ano a ano.

O maior erro de quem esta tentando se livrar da obesidade ou do sobrepeso é “fazer errado achando que esta fazendo certo”, pois isto alem de não gerar resultado traz frustração de metas não atingidas e a pessoa mal começou a mudar os hábitos e já retorna a vida desregrada antiga.

Mas como saber o que é saudável hoje em dia?

  • Escolher o básico, como: comida de feira e carne de açougue, são as melhores escolhas que podemos fazer, como mencionamos, a indústria alimentícia de modo geral, gosta de se aproveitar do vício do açúcar e mascarar seu consumo inclusive em alimentos “saudáveis”.
  • No mundo em que vivemos, existe um excesso muito grande açúcares e farinhas refinadas por todos os cantos, devemos ficar atentos a isso! (Padarias, salgadinhos e etc..)
  • Utilize o conhecimento de profissionais para te guiar na construção deste conhecimento, acompanhamos diversos casos de desinformação onde não existe acompanhamento nutricional, este acompanhamento não é apenas 1x ou 2x, as vezes, é preciso conscientizar-se de que poderá ter o acompanhamento a longo prazo (12 meses, 24 meses..)
  • Aproveite o conhecimento do profissional citado e PERGUNTE a diferença entre os alimentos, simplesmente aceitar o papel da dieta além de não adquirir o conhecimento poderá fazer substituições não equivalentes (e consequentemente não atingirá objetivos)

Então pessoal, vamos ficar mais atentos as escolhas do dia a dia, pois são elas que fazem a nossa rotina mudar aos poucos e fazer nossa vida mais saudável.

Utilize nosso cupom de descontos para adquirir produtos de qualidade no site www.beltnutrition.com.br – cupom: BARIATRICOS

Obesidade atinge 19% da população brasileira e 54% está com sobrepeso

Boa tarde pessoal

Nos últimos 10 anos, o número de brasileiros obesos aumentou em 60% e mais da metade da população está acima do peso, segundo dados do Ministério da Saúde. Hoje, a cada cinco brasileiros, um está obeso. A Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo: a projeção é que, até 2025, mais de 700 milhões de adultos estejam obesos e cerca de 2,3 bilhões com sobrepeso.

A endocrinologista Juliana Ferreira de Oliva e a nutricionista Patricia Rondello Mariano Silvestre, que integram o corpo clínico da NotreDame Intermédica esclarecem que, para diminuir e reverter este quadro, é preciso primeiro que as pessoas entendam que a obesidade é fator de risco para doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares e câncer. “Estas e outras doenças crônicas correspondem por 72% dos óbitos no país”, conta a Dra. Juliana.

Já a nutricionista Patricia Rondello revela um outro grave problema: hoje a nutrição está banalizada. “Com poucos cliques, qualquer pessoa tem acesso a diferentes dietas “milagrosas” na internet. Invariavelmente, estas pessoas acabam se frustrando e só aí percebem que precisam da ajuda de um especialista. É importante respeitarmos as particularidades de cada pessoa durante o processo de perda de peso e busca por uma vida mais saudável”.

As profissionais citam a genética, o sedentarismo e a alimentação como os três principais fatores de risco para a obesidade. Outros fatores como os hormonais, psicológicos, medicamentos, qualidade do sono e parada do tabagismo também podem contribuir para o início ou agravamento da doença.

Procurar ajuda de profissionais qualificados é a melhor decisão quando o assunto é o tratamento da obesidade. Os resultados podem ser potencializados se o paciente for atendido por uma equipe multiprofissional. Na base da pirâmide do tratamento para obesidade estão a reeducação alimentar, a mudança de hábitos e comportamentos e realização de atividade física. Dependendo do caso, pode ser incluído neste processo o tratamento farmacológico, com a recomendação de medicamentos específicos para cada paciente. Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o paciente deve primeiramente tentar perder peso com a alteração nos hábitos alimentares e com a prática de exercícios físicos. Se passados dois anos com falha na redução de peso, o paciente deve procurar um médico para avaliar se preenche os requisitos para a realização da cirurgia bariátrica.

A principais consequências da obesidade são problemas cardíacos, apneia do sono, Acidente Vascular Encefálico (AVC), aterosclerose, hipertensão arterial, diabetes, distúrbios psicológicos e problemas articulares. Além dos problemas de saúde, a obesidade acaba comprometendo também as atividades mais básicas do dia a dia. “Coisas simples, como subir um pequeno lance de escadas ou simplesmente brincar com os filhos, acabam sendo tarefas muito árduas”, lembra a Dra. Juliana.

 

Prevenir é o melhor remédio

Buscar ajuda profissional somente quando o problema de saúde aparece, continua sendo um dos grandes desafios. “Assim como o hábito de se alimentar adequadamente, o acompanhamento médico deveria ser uma rotina”, revela a Dra. Juliana de Oliva. Atenção também com a saúde mental. “Tenha o hábito de desestressar-se frequentemente por meio de atividades que lhe tragam prazer. E lembre-se sempre de dedicar um tempo à você mesmo”, orienta.

A prevenção e o controle da obesidade necessitam de mudança de comportamentos, ou seja, de  hábitos e estilo de vida. “Muitas vezes não adianta apenas a pessoa ir três vezes por semana na academia, se outros hábitos corriqueiros não forem ajustados. A prática de atividade física deve ser feita regularmente. Isso inclui, por exemplo, dar preferência por utilizar as escadas em seu local de trabalho e realizar percursos à pé sempre que possível”, alerta a endocrinologista da NotreDame Intermédica.

 

Veja abaixo 5 dicas de reeducação alimentar organizadas pela nutricionista Patricia Rondello, da NotreDame Intermédica:

  • Não existem alimentos proibidos. Existem, porém, aqueles que não devem ser consumidos constantemente, como frituras, industrializados e aqueles com excesso de açúcar ou gordura aparente.
  • Comece pela limpeza de seu organismo consumindo muita água. A recomendação da Organização Mundial de Saúde é que se consuma 2 litros de água por dia.
  • Não pule as refeições. Café da manhã, almoço e jantar são as mais importantes.
  • Faça lanches intermediários. Este hábito irá ajudar a consumir uma quantidade menor de comida e escolher os alimentos certos nas principais refeições.
  • Mastigue lentamente. A mastigação é muito importante no processo de reeducação alimentar. Tente realizar as refeições principais em, pelo menos, 20 minutos. Mastigando lentamente, a sensação de saciedade aparecerá mais rápido e, consequentemente, a quantidade ingerida será a ideal para aquele momento.

 

Oficinas de Saúde

Estes cuidados foram apresentados no dia 6 de junho, nas “Oficinas de Saúde”; um encontro promovido mensalmente pelo Grupo NotreDame Intermédica em suas Unidades de Medicina Preventiva. Nestas oportunidades, beneficiários e convidados participam de palestras com especialistas em diferentes áreas. A próxima Oficina de Saúde está programada para o dia 4 de julho e abordará o tema: “Saúde mental: depressão, ansiedade e estresse – mente sã, corpo são”.

 

Compartilhando e incentivando hábitos saudáveis

O Grupo NotreDame Intermédica mantém em seu canal no Youtube diversos vídeos com dicas e orientações valiosas que visam melhorar a qualidade de vida e auxiliar na prevenção de riscos e doenças da população em geral, além de campanhas e vídeos institucionais. O canal pode ser acessado clicando no link abaixo:

https://www.youtube.com/playlist?list=PLfJnzTJJhlD9hsK4ZKGKbOXSPYnhSKXPm

 

Fonte:

Obesidade atinge 19% da população brasileira e 54% está com sobrepeso

excesso-de-pele-apos-bariatrica

Boa tarde pessoal,

Esta dúvida é uma pergunta bem frequente em nosso site. Muitas pessoas não tem a necessidade de fazer a cirurgia reparadora, mas isto depende de pessoa para pessoa bem como os cuidados pós-cirúrgicos.

O excesso de pele após a cirurgia bariátrica não é só questão de estética. O paciente que tem muita sobra de pele, pode ficar com a sensação de que ainda está faltando alguma coisa, parece que o emagrecimento não aconteceu de forma completa.

Alguns pacientes ficam constrangidos com a situação e acabam optando pela cirurgia reparadora. A cirurgia mais procurada é a abdominoplastia, a qual consiste em retirar o excesso de pele do abdômen, normalmente indicada após 2 anos para estabilização do peso. Além da abdominoplastia, existem também a mamoplastia, lipoaspiração, entre outras para retirada também de sobra de pele nos braços e coxas.

Além da questão estética, a sobra de pele em grandes quantidades pode trazer outros problemas desagradáveis como dermatites nas dobras de pele, coceira, fungos, micose, e até mesmo infecções podem acontecer.

A indicação da cirurgia reparadora deve vir da equipe médica e esta guia por sua vez deverá ser levada para o plano de saúde ou para seu cirurgião.

Logo mais falaremos em outro post sobre a liberação dessa cirurgia.

Fiquem ligados.

Utilize nosso cupom de descontos para adquirir produtos de qualidade no site www.beltnutrition.com.br – cupom: BARIATRICOS

 

 

 

WhatsApp Image 2017-06-05 at 12.39.56

 

Bom dia galera!

Vamos começar a semana com o depoimento inspirador da Luana Araújo!!!  JÁ ELIMINOU 100 KG

Nome: Luana Araújo
Estado: Rio Grande do Norte
Profissão: Funcionária Pública
Idade: 29 anos
Com que idade operou: 27 anos (véspera dos 28 rs)
Qual seu peso inicial: 184.6
Qual seu peso atual: 84.4

Quando foi o momento que decidiu fazer a cirurgia Bariátrica?

Ouvia falar da cirurgia do modo mais irresponsável que alguém pode propagar, somente dos ônus. E me permitindo observar os casos de insucessos, o que naturalmente me sabotava em buscar informações responsáveis. Uma vez que a obesidade me acompanha desde a primeira infância e deveria ter seguido por este caminho, a muitos anos atrás quando já havia indicação. Porém em 2012 busquei e recebi o primeiro balde de água fria, simplesmente meu grau de obesidade era tamanho que pra operar teria que atender critérios que naquele momento eu não atendia. Em 2013 motivada por uma amiga, voltei a buscar outra equipe que ao se deparar com a minha condição clínica, também se negou a realizar o procedimento naquelas condições. No mesmo ano, ouvi de um outro profissional de uma terceira equipe que buscara, que seria uma bomba relógio, e assim minhas forças de lutar contra a obesidade iam embora. Até que no ano de 2015, participando de um evento popular me deparei com olhares piedosos, piadas sarcásticas, preconceito impiedoso, que me oportunizaram a maior dor emocional já sofrida até então. Foi o que motivou a buscar uma nova equipe, e fazer tudo que estivesse ao meu alcance, mesmo frente ao imenso risco diante do IMC 68, pra ter de volta tudo aquilo que a morbidade me levou.

Teve medo de tomar esta decisão?

Nenhum! Diante do fato relatado, eu tinha medo de não andar mais, de me aprisionar de vez aquele corpo, de vegetar diante dos dias, e simplesmente desperdiçar o dom da vida, entre as grades invisíveis da obesidade.

Operou quando? 17/12/2015

Quantos Kg já perdeu até agora?
100 Kg (rs), a busca pela meta, de está saudável continua incessante.

100 Kg é MUITA coisa, como você se sente após esta grande perda?

Fazem um ano e cinco meses apenas, que livrei de meus ombros um peso que a anos era obrigada a levantar com ele da cama, e hoje ele não está mais aqui. Posso dizer que tem sido a viagem mais fantástica que poderia realizar, onde ter de volta a liberdade de locomoção, de realizar tarefas que pra muitos são banais, como higienização do próprio corpo, um cruzar de pernas, um ir até a esquina sem precisar está dentro de um carro, ir a uma loja onde pessoas ‘comuns’ compram roupas e não ser olhada como um ‘ET’, e lá escolher uma roupa e não um saco qualquer lhe escolher (Sim! A indústria da moda só dispõe de roupas sem cores, cortes, e estilo pra quem está a margem da obesidade), são sensações que não há palavras que descrevam. Nem digo que a vida mudou, e sim que ela surgiu.

Como foi seu pós-Operatório?

O procedimento foi extraordinariamente bem sucedido! Os profissionais que me acolheram foram de uma responsabilidade imensa, porém, eu não! Ao achar que poderia me dá a oportunidade de sair do repouso devido, antes do indicado, acabei tendo uma pneumonia, que diante de sua necessidade de tratamento com antibióticos, resultaram numa úlcera, e daí por diante foram meses de desafios que não foram provenientes da cirurgia, e sim da minha irresponsabilidade quanto paciente. Que trago em relato como alerta, pra que só façam aquilo que suas equipes indicarem, podendo assim ter um pós operatório tranquilo, como deveria ter sido o meu rs. Mas enxergo como necessário tudo que ocorreu, para que pudesse de fato assumir o compromisso com minha saúde, dentro do processo de cuidado. Tudo valeu muito a pena.

Como foi com quedas de cabelo?

Com uma dieta equilibrada, rica em proteína desde o primeiro momento, e suplementação correta, aconteceu em uma proporção que não me inquietou, ou trouxesse danos as minhas madeixas rsrsrs. Garanto, ainda não conheci nenhum careca, que não por opção, porquê tenha feito a gastroplastia. Porém é imprescindível cuidar e equilibrar as vitaminas.
Você continua com acompanhamento multidisciplinar?

Sempre! O acompanhamento multidisciplinar é de suma importância uma vez que seremos sempre, obesos em tratamento. O procedimento cirúrgico nada mais é que um facilitador para adotarmos novos hábitos alcançarmos nossos objetivos, e pra que possamos vencer a obesidade, a vigilância e cuidados a saúde tem que ser constantes.

Quais suas próximas metas ?

Chegar ao peso definido pela equipe médica, concluir o processo com as reparadoras que forem necessárias, e usufruir da liberdade tão sonhada, que já se faz presente. Continuar com a consciência de hoje em me permitir escolhas conscientes que me permitam a tão sonhada longevidade! Ressignificando os prazeres, me permitindo um estilo de vida saudável, pra que essa viagem chamada vida, seja ainda mais saborosa.

Alguma dica em especial para quem vai operar ou esta no processo contra a obesidade?

Que não se permitam sabotar pelo medo do por vir, que usem ele a seu favor, lhe mantendo no foco pra ter um procedimento bem sucedido. E se tiver medo, que seja de passar a vida com as dores e frustrações que nem preciso detalhar, na sua singularidade todo obeso conhece! Comprometa-se consigo mesmo, reescreva sua história, e oportunize-se ter uma vida plena e saudável.

E deixo também pra quem já se permitiu a segunda chance, e tem desperdiçado. Tudo diz de escolhas, a cada novo segundo que surge será uma nova oportunidade de fazer o novo, e diferente, pois só assim haverão resultados! Pra frente é que se anda, não se permitam aprisionarem novamente nas grades dolorosas da obesidade, ela não te define. Se disponham a receber as melhores coisas que essa nova oportunidade pode propiciar, haverão presentes que vocês serão gratos a vida toda por terem realizado o procedimento, e em consequência terem recebido.

Encerro com minha gratidão a Deus, a minha família, a equipe que acreditou que era possível, a todos que apoiaram, aos que desestimularam (me impulsionou a provar q seria capaz), aos amigos que fiz, aos presentes que recebi no caminho, e especialmente a mim mesma, que não desisti dos meus sonhos. Chega uma hora que ninguém além de você mesmo, pode torná-los reais.

Parabéns LUANA !! 

 

lu1 lu3

Depoimento Luiz Ferrer
Boa noite pessoal
Vamos la com mais um depoimento, dessa vez do nosso querido Luiz Aurélio.
Nome: Luiz Aurélio Filippin Ferrer
idade: 31 Anos
Profissão: Consultor de Vendas
Qual a data da cirurgia e qual  motivo de ter feito a bariátrica? (comorbidades/vergonhas/luta contra balança).
– 16/01/2014. Principal motivo era ter um maior controle da obesidade, operei com 142,8 kg já estava com a saúde física e mental debilitada,  já travava uma luta contra balança há 5 anos tendo sucesso no emagrecimento de 52 kg, mas devido a forte compulsão alimentar, falta de acompanhamento e uma serie de lesões, depressão, chegando a ter todo reganho do peso eliminado sem cirurgia, após diversas frustrações com varias medicações e profissionais optei pela cirurgia bariátrica como última opção.
Quais os principais medos que teve antes da cirurgia e como conseguiu lidar com eles?
– O principal medo era de não conseguir levar uma vida normal diante de tantas restrições alimentares, e da dieta líquida. Na líquida entrei muito bem preparado psicologicamente, isso facilitou demais. A restrição alimentar tirei de letra, com o tempo agregando bons hábitos tudo acaba fluindo naturalmente.
Como você lida com as tentações e equilíbrios da questão alimentar do dia a dia?
– Seguindo um plano alimentar com acompanhamento de nutricionista com um cardápio voltado as minhas necessidades e dificuldades que encontro no dia a dia, liberando um dia off nos finais de semana, onde como tudo que tenho vontade, mas sem fugir do plano alimentar totalmente.
Você pratica exercícios frequentes?
– Sim, corrida de rua, treinamento funcional direcionado para fortalecimento e otimização da corrida e bike, chego praticar alguma atividade todos os dias da semana.
Quais suas próximas metas depois de viciar tanto nas corridas?
– A meta principal é completar os 42,195 km da Maratona do Rio de janeiro, após essa conquistar correr mais duas ou três Maratonas em dois anos.
Reganho de peso – Administrando as refeições

Bom dia!

Eis que surge um assunto complicado na prática: administrar as refeições.  Mas por que complicado?

Quando a mente do paciente não está bem trabalhada após a cirurgia bariátrica, por muitos casos o operado tende a querer comer mais: para satisfazer a mente ou satisfazer aos outros. Desta forma, acaba indo geralmente para porções grandes de carboidratos pois são muito mais fáceis de ser digeridos, sejam eles pães, purês, arroz.

A preferência alimentar deve ser reeducada no primeiro ano, momento crucial para definir e dar o prumo do sucesso para a vida nova da alimentação saudável. Manter a alimentação equilibrada (de acordo com a dieta proposta pela equipe disciplinar) trará mais saciedade ao longo do dia.

Hoje os supermercados oferecem uma imensa variedade de produtos “fit” porém estas escolhas devem ser muito bem analisadas no plano alimentar. Comida de verdade, aquela de feira e carne de açougue, não possui rótulos e nem enganações. Devemos ter muita atenção na hora da escolha!

Quando a refeição for fora de casa, por exemplo em restaurantes, devemos ter o máximo de cuidado para não cair em armadilhas. Alimentos preparados com muito molho, temperos prontos, podem causar mal-estar no recém operado e até mesmo diarreia e vômitos. EVITE!

O mesmo acontece em festas, principalmente festinhas de criança. Não precisamos deixar de comparecer, mas temos que evitar os famosos salgadinhos fritos (prefira sempre os assados), docinhos, balas.

DICA: Não coma com pressa. Quem come com pressa não se lembra nem do que consumiu.

Utilize nosso cupom de descontos para adquirir produtos de qualidade no site www.beltnutrition.com.br – cupom: BARIATRICOS

 

Reganho de peso – Uso de álcool

Boa tarde, tudo bem pessoal?

Pesquisas mostram que pessoas que foram submetidas à cirurgia bariátrica têm maior risco de se tornarem dependentes de álcool, pois o paciente passa a metabolizar o álcool de maneira diferente. A pessoa fica alterada mais rapidamente (isso não é uma regra, mas acontece com a maioria dos pacientes),e demora mais tempo para voltar a ficar sóbria.

A cirurgia bariátrica tem se tornado um procedimento muito comum, podemos dizer até mesmo que tem sido banalizada em alguns casos. Embora seja considerada um tratamento eficaz contra a obesidade, existem riscos como qualquer outra cirurgia, e um deles é o desenvolvimento de transtornos relacionados ao álcool.

Independente do histórico de consumo de álcool, os pacientes devem ser informados quanto aos potenciais efeitos da cirurgia bariátrica para o aumento do abuso do álcool.

Isto não quer dizer que o consumo de álcool é proibido, mas sim que o paciente deve beber com cautela.

Alguns pacientes também relatam que não conseguem mais ingerir álcool, pois ficam com a sensação de estufamento, e acabam abandonando de uma vez por todas, além do que o gás pode dilatar o estômago com o passar do tempo.

A mudança do estilo de vida faz parte do processo de emagrecimento e deve acontecer com todos os pacientes, tendo sempre em mente que é preciso aderir ao novo estilo para que os resultados sejam cada vez melhores e mais eficazes. Conseguindo manter o controle nessa fase inicial que é um pouco delicada, a mudança a longo prazo fica muito mais fácil.

Utilize nosso cupom de descontos para adquirir produtos de qualidade no site www.beltnutrition.com.br – cupom: BARIATRICOS